Vale a pena fazer o curso de educação física? Áreas onde atuar

Você já deve ter notado que muitas pessoas estão optando por seguir a área de Educação Física. De acordo com números divulgados pelas instituições, o curso de Educação Física está recebendo cada vez mais estudantes.

Considerando essa quantidade de pessoas cursando a área, será que vale mesmo a pena começar um curso de Educação Física? Saiba a seguir como funciona, se vale a pena e onde o profissional do curso pode atuar:

O curso de Educação Física

O curso de Educação Física é possível no nível superior, ou seja, como uma graduação. Quem optar pela área, deverá estar preparado para se formar em cerca de 4 anos, podendo se estender em casos especiais.

Nem todo mundo sabe, mas o curso de Educação Física pode ser realizado em duas modalidades: bacharelado ou licenciatura. É importante enfatizar que esses dois viés são fundamentais para definir a área de atuação do formando deste curso.

Quem está pensando em começar essa graduação, vai gostar de saber que existem muitas oportunidades para você conseguir acesso facilitado a universidade.

Estamos falando de programas como o Prouni e o Sisu, que oferecem bolsas de estudo para os estudantes que participaram do Exame Nacional do Ensino Médio e obtiveram boas notas.

Para tanto, é necessário superar a nota de corte de Educação Física. Então, não deixe de conferir a nota de corte SISU Unicamp para saber quanto você precisa tirar no Enem.

Vale a pena?

Mas afinal, vale a pena começar a graduação em Educação Física? Com tantos estudantes se formando na área, é normal se questionar se o índice de empregabilidade vai ser equivalente a quantidade de pessoas com um diploma na área.

Bem, o que podemos afirmar em relação a isso é que também existem muitas opções de atuação de trabalho para quem está nessa área do mercado.

O que é interessante para os estudantes de Educação Física é pesquisar o seu mercado local e verificar a localização das melhores oportunidades de carreira.

Onde atuar?

Como mencionado, o curso de Educação Física pode ser efetuado tanto na forma de licenciatura como na forma de bacharelado, o que será fundamental para definir o campo de atuação do profissional.

Quem optar por licenciatura estará apto para atuar em instituições de ensino da educação básica em todos os níveis, desde o ensino fundamental ao ensino médio. O mesmo também atua em escolas de dança e academias na condição de professor.

Enquanto isso, o profissional que se formar em bacharelado poderá atuar supervisionando a prática de esportes ou exercícios físicos em diferentes espaços.

Como nasceu o Encceja? Entenda a diferença entre Encceja e ENEM

O Encceja é uma das provas mais importantes que podem acontecer anualmente e a mesma tem uma função social bem interessante. Muita gente acaba confundindo o programa com o Enem, uma vez que já tiveram propósitos parecidos, mas vale mencionar que ambos passaram por adaptações e hoje tem funções totalmente distintas.

Para entender melhor o funcionamento da prova do Encceja e em que ponto a mesma se difere da prova do Enem, vale a pena conferir as informações abaixo:

Como surgiu o Encceja?

Para entender a necessidade da criação do Encceja, é preciso que falemos um pouco sobre o Exame Nacional do Ensino Médio. Você sabia que, há muitos anos atrás, o Enem era apenas uma ferramenta de avaliação da educação básica no país?

Foi preciso algum tempo para que o exame se tornasse a forma padrão de ingresso ao ensino superior. Quando isso passou a acontecer, os órgãos responsáveis pela educação no país presumiram que quem conseguia passar no vestibular estava apto a concluir o ensino médio automaticamente.

Por isso, o Enem passou também a ser utilizado para substituir a conclusão do ensino médio quando o estudante era aprovado no vestibular, o que posteriormente acabou gerando alguns problemas curriculares.

Assim foi preciso desenvolver um programa mais abrangente, que pudesse beneficiar também aquelas pessoas que não conseguiram ou estavam consideravelmente atrasadas em relação a faixa etária do ensino fundamental e médio.

Assim surgiu o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (ENCCEJA) com o objetivo de oferecer certificação para quem estivesse fora da faixa etária na educação básica.

Quem possui 15 anos ou mais e está no ensino fundamental, assim como quem possui 18 anos ou mais e está no ensino médio pode participar do Encceja 2020 e conquistar o seu certificado de conclusão.

Qual a diferença entre o Encceja e o Enem?

Como você pode conferir acima, os programas se diferem principalmente pela evolução de seus objetivos, apesar de ter um funcionamento semelhante no modelo concurso.

Quem se inscreve para o Encceja deve estar atento a página do participante Encceja 2020 para ficar por dentro de datas, horário e local de prova. E o mesmo acontece para os participantes do Enem.

Apesar do modelo concurso, vale mencionar que o Encceja promove somente a certificação da educação básica, sendo necessário ainda a participação no Enem para garantir a sua vaga no ensino superior.

Vale mencionar ainda que a inscrição no Encceja é gratuita, enquanto existe uma taxa para quem quer fazer o Enem. Isto é claro, para quem não tem direito a isenção.

Um outro ponto interessante é que o modelo de prova do Encceja leva em consideração a categoria para a qual o candidato está participando, definindo os conteúdos da prova, enquanto o Enem é totalmente abrangente nos assuntos abordados.

Conheça as vantagens de colocar seu filho em uma escola de luta

Criar e educar uma criança não é uma tarefa fácil. Sabemos que não existe uma fórmula secreta pra se sair bem como pai e mãe, mas algumas dicas podem te ajudar em cada etapa da vida do seu pequeno.

Nas primeiras fases, é normal que a criança tenha muita energia e você pode canalizar todo esse vigor em um esporte ou em uma luta, por exemplo.

Muitos especialistas indicam escolher um tipo de luta para a criança praticar. Você sabe o porquê? Leia o texto a seguir e conheça as vantagens de colocar seu filho em uma escola de luta:

Redirecionar energia

O primeiro ponto a ser mencionado é aquele que já foi mencionado acima: canalizar as energias da crianças Nas primeiras fases, a disposição e energia das crianças poder surpreendentes e nem todos os país conseguem administrar esse fator.

Uma boa dica é utilizar lutas como boxe, judô, karatê, entre outras para fazer com que a criança gaste todo o seu potencial em um espaço adequado.

Assim, o seu filho pode desfrutar de uma desaceleração do ritmo agitado. E vale lembrar que no caso de crianças muito quietas, pode despertar um lado mais esportivo.

Incentivo a disciplina

A base para aprender qualquer luta ou esporte é a disciplina. Esse aspecto do desenvolvimento pessoal da criança é bem difícil de aplicar, já que a mesma está descobrindo a sua personalidade.

Por isso, colocar o pequeno em uma escola de luta pode ensinar sobre respeito e disciplina, direcionando o condicionamento do seu filho para o controle.

Defesa pessoal

Incentivar o aprendizado para a violência, com certeza, não é um aspecto das aulas de luta. Isto está aplicado para todo e qualquer tipo de categoria da modalidade.

Entretanto, é preciso considerar que ao longo da vida a criança precise aprender a se defender e usar os ensinamentos de forma coerente.

Na escola de luta, será repassado para os pequenos a importância da defesa pessoal e o autocontrole de saber utilizá-la nos momentos certos.

Desenvolvimento pessoal 

Como você já conferiu nas informações acima, as aulas de luta poderão representar o desenvolvimento do seu filho em diversos aspectos diferentes e um deles é o desenvolvimento pessoal.

Alcançar novos objetivos, se dedicar e desenvolver habilidades como a coordenação motora farão parte da rotina da criança. Além disso, é importante ressaltar a sociabilização com os outros coleguinhas que partilham da mesma atividade. Os benefício são muitos!

Saiba como é possível estudar em outro país com bolsa estudantil

Estudar fora do país pode parecer um sonho bem distante, mas você sabia que existem alumas formas de você conseguir essa proeza? Se você sonha em morar fora do país e começar o curso dos seus sonhos, é preciso bastante preparação e estudo. Veja a seguir quais recursos você pode usar:

O método mais utilizado para ingressar no ensino superior em nosso país é o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Através da participação no concurso, os estudantes podem inscrever a sua nota nos sistemas de distribuição de vagas: SISU e PROUNIA.

O que nem todo mundo sabe é que é possível utilizar o recurso do Enem para estudar em universidades fora do país. Apenas algumas instituições estão participando, então como garantir a sua vaga nas instituições através do ENEM 2020?

Em primeiro lugar, é preciso se certificar das possibilidades que se enquadrem no seu perfil. Para ajudar você, separamos algumas opções por país. Veja abaixo:

Reino Unido

  • Universidade de Bristol
  • Universidade de Oxford

Portugal

  • Universidade de Coimbra
  • Universidade da Madeira
  • Instituto Politécnico de Leiria
  • Universidade de Lisboa
  • Universidade dos Açores

Irlanda

  • University College Cork

Canadá

  • Universidade de Toronto

Mas é importante ressaltar que em alguns casos, como é para as universidades do Reino Unido, é necessário realizar também o vestibular local. Além disso, é necessário comprovar proficiência no inglês para poder garantir o ingresso nas instituições.

Essas vagas são bastante concorridas e para aplicar para elas, é necessário ter uma alta pontuação. O exame é realizado tradicionalmente, como todos os estudantes.

Portanto, os estudantes interessados devem se preparar para o Enem. O exame é realizado em dois domingos consecutivos de novembro.

Além das 180 questões divididas entre as matérias do ensino médio, o candidato também precisa realizar a prova de redação do Enem de acordo com a proposta estabelecida.

Essa etapa do exame é muito importante para a sua aprovação e garante uma porcentagem da sua nota. O problema é que não é possível prever qual será o tema da redação.

Entretanto vale lembrar que você pode conferir possíveis temas redação ENEM 2020. Assim, o estudante pode ler um pouco sobre as possibilidades e estar preparado.

Vale mencionar que as bolsas de estudo ofertadas, na maioria das vezes, cobrem apenas uma parte dos gastos. Por isso, quem for aprovado deve precisar desembolsar ainda o resto das despesas. No geral, os valores variam de acordo com a instituição e com o país de destino.

Como incentivar seu filho a praticar um esporte

Nos tempos atuais as crianças têm saído pouco de casa para brincar e se exercitar. Os vídeos em plataformas digitais, os jogos e os aparelhos eletrônicos tornaram-se mais interessantes. Acontece que o ato de se movimentar pouco, pode trazer problemas de saúde para esses jovens. Como, por exemplo, a obesidade infantil.

Dicas para criar jogos infantis

Uma turma de crianças está reunida na sua casa, e ao invés de estarem correndo pela casa estão todos jogados no sofá? Bom, então você precisa criar estratégias para trazê-los para o quintal.

A primeira dica é conversar com essa turma, ou individualmente com seu filho para dizer o quanto é importante o ato de correr, andar, brincar e se exercitar. Conscientizando-o sobre a movimentação e a prática de exercícios físicos.

Em seguida, utilize recursos como:

  1. Crie brincadeiras em grupo, e instigue a competição entre eles;
  2. Usando plataformas digitais, como o YouTube, coloque vídeos de tutoriais de dança e pratique junto com seu filho;
  3. Force-o a caminhar mais. Pedindo que vá até o mercado o padaria a pé. E entre nesse movimento, levando-o até a escola sem usar carro;
  4. Assista a jogos e competições esportivas e veja se ele (a) se interessam por alguma modalidade;
  5. Leve seu filho para conhecer uma escolinha de futebol, natação ou atletismo. Ele pode se interessar.

Brincadeiras de rua como prática de esporte

As brincadeiras não precisam acontecer necessariamente na rua, dependendo da região que mora. Mas, podem ser feitas no seu quintal ou na área kids do seu condomínio.

Promova esse tipo de atividade no seu bairro, e faça com que não só seu filho, mas todas as crianças próximas queiram se movimentar. Com brincadeiras como:

  • Pular corda;
  • Pega pega;
  • Pique esconde;
  • Corrida;
  • Cabo de guerra;
  • Taco;
  • Futebol de rua;
  • Queimada;
  • Vôlei de rua.

Essas são algumas das brincadeiras que podem ser feitas. Mas, tudo depende da criatividade. Podendo, inclusive, criar competições e campeonatos durante as férias ou fins de semana na sua rua, bairro ou condomínio.

Por que é importante as crianças praticarem esporte

Pode parecer opcional, mas a prática de esporte é um item que deve fazer parte da vida da criança desde o início. Seja com a matrícula em aulas de natação e ballet, ou, jogando bola com os pais.

Além de despertar o gosto pela movimentação, a família consegue evitar uma série de problemas de saúde no pequeno. Como, a atrofiação dos nervos, obesidade, problemas cardíacos e até mesmo respiratórios.

Sem contar que os esportes também despertam outras qualidades, como: trabalho em grupo, coordenação motora, disciplina e aprendizagem sobre regras.

A importância das escolas de futebol nas cidades pequenas do Brasil

Qualquer tipo de ação social voltada ao esporte deve ser valorizada. Escolas de futebol, por exemplo, produzem uma série de conhecimento aos seus alunos. Sendo que para os municípios menores essa pode ser a única fonte de exploração dos talentos esportivos. Por isso, é interessante apoiar esses tipos de iniciativas.

Escolas de futebol nas cidades pequenas do Brasil

As escolas de futebol, principalmente de esporte amador, são criadas com o intuito de facilitar o acesso ao esporte no local. Ensinando as regras básicas da modalidade, técnicas principais e formas de se conseguir sucesso dentro da categoria.

Nas cidades pequenas esses centros estão muito ligados a projetos sociais, de inclusão. Pois, normalmente são os locais em que as crianças, adolescentes e jovens usam para se distrair e gastar energia.

Um jovem ligado ao esporte tende a extinguir a possibilidade do uso de drogas, pratica de roubo ou violência. Isso porquê, aprende a trabalhar em grupo, a necessidade de conquistas e está totalmente dedicado ao seu sucesso pessoal como esportista.

Além disso, as escolinhas também podem ser opções para que as crianças passem a praticar mais exercícios físicos. Combatendo a obesidade e sedentarismo.

Como começar uma escola de futebol

A ideia de iniciar um centro de ensino sobre futebol circula sobre várias cidades do país. Os responsáveis pelas iniciativas precisam considerar algumas questões, antes de colocar o projeto em prática. Por exemplo:

  • Espaço para atender os alunos;
  • Professores graduados em Educação Física;
  • Materiais como: bola, rede, cones, coletes e etc.;
  • Horários disponíveis para o oferecimento das aulas.

Caso não tenha condições financeiras de arcar com os custos, a dica é buscar por patrocínio e parcerias. Profissionais da área do esporte que deem aulas gratuitas, doações de bola e quadras ou campo emprestados da Prefeitura Municipal.

Depois, o presidente do projeto deve pedir um alvará de licença na Prefeitura. Criando e apresentando o projeto social. Se a iniciativa for particular, isto é, cobrando mensalidade dos alunos, a permissão deve apenas licenciar o campo utilizado para as aulas.

A importância das escolas de futebol nas cidades pequenas do Brasil

Como foi dito, as escolas de futebol são importantes em vários sentidos. Primeiro, porquê simbolizam um projeto social de integração entre os jovens. Normalmente são aceitas crianças acima de 6 anos até os 17 anos.

Também é interessante dizer que a prática do esporte estimula a saúde dos adolescentes, sendo um fator de peso para o combate a doenças relacionas ao sedentarismo.

E por fim, a oportunidade de aprender sobre o esporte que gosta é muito interessante. Tendo embasamento sobre técnicas e práticas, e a possibilidade de despertar promessas do futebol brasileiro. Vale dizer que as escolas são voltadas para meninos e meninas.

Scroll to top